quinta-feira, 2 de julho de 2009

Bienvenidos al mundo de la pura hipocresía

Ia responder ao questionamento da Taís nos comentários do útimo post, mas achei melhor ja fazer um novo post de uma vez.

"Um ato racista", como foi colocado, não é piada. Ao contrário. E por isso mesmo essas questões não devem ser banalizadas. E o que aconteceu não teve nada a ver com racismo, essa é a questão.

Tá, todo mundo já deve ter lido a respeito das acusações do tal Elicarlos, jogador do cruzeiro, que afirmou ter sido "vítima de racismo" pelo Maxi Lopez, centroavante do Grêmio. Segundo o cruzeirense, Maxi o teria chamado de macaco.

Palavras de Elicarlos dia 24:
“No meio-campo, a gente fez a falta em cima do Tcheco e o atacante deles (Maxi Lopez) chegou para mim e me chamou de macaco. Foi alto, o Wagner ouviu e foi para cima dele — declarou."
A declaração acima publicada também aparece mencionada no site oficial do Cruzeiro.

Palavras de Elicarlos dia 25:
“Disputei uma bola com Maxi, ele não gostou, virou-se para mim e disse: “macaco”. O Wagner também ouviu, ficou p*, e foi para cima dele. Na hora, não acreditei naquilo, fiquei sem reação.“"

Bom, o cara nem se decide sobre qual versão da história vai sustentar, o importante é mostrar que ele estava quietinho, como um anjo, veio o argentino malvadão (brasileiro odeia argentino, ponto a favor do Elicarlos) e xingou ele de macaco.
Em tempo: Maxi não fala uma única palavra em português, mas com certeza MACACO ele aprendeu antes do jogo, especialmente pra xingar ele. Óbvio.

Ah, vamos esquecer que a torcida do Cruzeiro passou o jogo todo zuando com o Grêmio e a torcida gaúcha. Esqueceremos também que o Maxi passou 90 minutos sendo chamado de "gringo de merda, argentino fdp, barbie, xuxa, boneca loira" e outras coisinhas.

Só não dá pra esquecer que esse moço, que se diz injustiçado e humilhado, só se lembrou de acusar o Maxi no final do jogo (o tal lance teria ocorrido no primeiro tempo, num lance onde, ao contrário do que Elicarlos afirmou, alguns jogadores se desentenderam e trocaram empurrões. Em nenhum momento aparece Maxi proferindo a palavra macaco. E nem poderia: se ele fosse chamar Elicarlos de primata, usaria a palavra MONO, que é como os argentinos falam. O que pode-se ver claramente são empurrões e tal, o que mostra que Elicarlos não "ficou sem ação", como ele afirmou.

Não acho que Maxi tenha chamado algum cruzeirense de lindinho, ou de meu amor. Assim como também não foi tratado com esse carinho pelos adversários. Todo mundo que ja jogou futebol alguma vez na vida, ou mesmo quem algum dia assistiu a um jogo de futebol SABE que é algo natural do esporte os xingamentos.
Não existe futebol sem palavrão, sem termos chulos, sem apelação. Ou alguém assiste um jogo em casa sem chamar o juiz de ladrão FDP, ao menos?

Por isso o Brasil não vai pra frente, com tanta coisa pra realmente se preocupar, o pessoal fica pegando no pé de jogador por briguinhas em campo. E eu concordo plenamente com o que o Cristian Bonatto escreveu no Blog do Torcedor essa semana. Peço que leiam e pensem a respeito.

Portanto, piada é o que esse moço, Elicarlos, está fazendo. E só pra constar, ele "se lesionou" essa semana, então não virá para o jogo em Porto Alegre. Coincidência?


Hipocrisia é mato.

E outra, to cansada de ouvir principalmente pessoas "da parte de cima" do país implicar com a torcida gremista, chamando de neonazistas e o escambau.

Vamos esclarecer as coisas: os torcedores do inter são chamados de macacos no sentido de serem "seres irracionais", de imitarem a torcida gremista, de serem "quase humanos". Em outras palavras, se trata nada mais do que uma brincadeira, coisa de rivalidade futebolística, somente isso. Assim como os palmeirenses são chamados de "porcos", a ponte-preta é a "macaca", o santos é o "peixe", e por ai vai.

Tanto que o inter tinha a torcida organizada chamada MA.CA.CO (Massa Cachasseira Colorada), no qual iam torcedores vestidos de macacos pros jogos. Assim, o apelido pegou. Nada tem a ver com a cor de pele de alguém. Até por que nenhum gremista teria como esnobar a história do próprio clube, o qual tem como ídolos, em grande parte, personalidades negras.

O hino do Grêmio foi criado por Lupicínio Rodrigues = NEGRO
Na bandeira do Grêmio, tem um única estrela. Ela representa Everaldo, jogador gremista que foi campeão mundial com a seleção brasileira em 70 = NEGRO

Portanto: preconceituoso, racista e nazista é a PQP!!! ¬¬

GRÊMIO = azul, PRETO e branco.


10 comentários:

strawberry fields disse...

não sabia dessa polemica toda... rsrs

meu fds foi todo dedicado a minha crise de chegar aos 30... rsrs

beijos e boa smeana!

Huntress disse...

Também não fiquei sabendo de bafáfá.. Meu time do sul era o grêmio, mas acho que já faz mais de um ano ou dois que passei pro inter hauahuahauhauha.. Vou perguntar pra minha irmã a respeito disso, ela sabe tudo, de futebol.. Xd
Beijãããooo

Lu - rs disse...

Como gremista que ficou escutando toda a narrativa do "buxinxo".Concordo em numero,grau e genero com tudo o que foi expresso neste post!Maxi Lopez também deveria fazer um BO sobre preconceito contra os "hermanos"!!Espero que ele dê o troco marcando todos os gols que perdeu naquele jogo!Dá-lhe Grêmioooooooooo!

Bjs!

Lelê Maria disse...

Não quero ser advogada do diabo mas pra mim não cola essa coisa de que é só rivalidade futebolística chamar colorado de macaco.
É horrível, no mínimo.

Fer disse...

Lelétchi, pra mim o problema é achar que macaco remete necessariamente a cor da pessoa.

Me diga pq chamar palmeirense de porco não é preconceito, e chamar colorado de macaco é?

Pq tu acha que macaco parece uma pessoa negra? se tu acha que sim, então o preconceito é teu =)

E de qualquer maneira, ninguem chamou ninguem de macaco, então fim de papo \o/

Alice disse...

Por essas e outras que não curto futebol... Tudo que tem um monte de homem junto não é legal!
:D

Lelê Maria disse...

Não distorce o que disse, fernandete!

Tudo varia muito na intenção e entonação. Até chamar de 'meu bem', se é mal intencionado, vira preconceito.

E o preconceito não é meu ou de alguém especificamente. Tu sabe muito bem que aqui no sul isso é muito forte. Pode até ser que o porco lá do não sei quem não remeta à cor, mas chamar de macaco os colorados, remete sim. É histórico, não sou eu dizendo.

C. June disse...

Olá!
Apareci hoje por aqui e gostei do blog...
Mas eu concordo com os comentários da Lelê Maria. Na dúvida, acho que xingamentos que podem ou não ser confundidos com preconceito deveriam ser evitados. Chamar palmeirense de porco é uma coisa, mas se você chama um jogador negro de macaco, como provar que você não estava sendo racista?

Na dúvida, é melhor xingar de outra coisa.

Mas tirando isso, adorei o blog, cara! =)

Lelê Maria disse...

Ehehehehe

Não chingeum, quem sabe. Amem-se. ahahaha

tá, eu não sou nada futebolística mas sei que isso sim não vai colar.
ahahaha



tem memê pra esse blog lá no meu.


beijos sapatinhas que eu amo.

Maria Menina disse...

Olá!
Vim, vi e gostei!
(Ah, eu li também, tá?)
Beijosss

Maria